Clinica Fertility triplica números de congelamento de óvulos

Segundo o Sistema Nacional de Produção de Embriões, o SisEmbrio, em 2017, 75.557 embriões foram congelados no Brasil, um aumento de 13% em relação ao ano de 2016, quando 66.597 embriões foram congelados.
Fonte: BBC. Um aumento de 176% nos procedimentos de criopreservação de óvulos. Esse dado acaba de ser divulgado pelo Fertility Medical Group, em São Paulo.

Leia a matéria completa em nosso portal: https://fertility.com.br/clinica-fertility-triplica-numeros-de-congelamento-de-ovulos/

Embryologist freezing embryos for storage

Dr. Edson Borges aborda os avanços da medicina reprodutiva na TV Cultura!

A medida que a idade aumenta, a fertilidade diminui. Para tentar ter um filho aos 43 anos, uma mulher de São Paulo pediu uma doação de óvulo da irmã, mas foi impedida pelo Conselho Federal de Medicina. Uma norma do CFM estabelece o anonimato da doadora de óvulos. Mas ela não aceitou essa condição, recorreu à Justiça Federal e conseguiu o direito de receber o óvulo da irmã.

A repórter Letícia Lagoa entrevistou o Dr. Edson Borges Jr. – especialista em reprodução humana e membro da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida ( SBRA) – para abordar temas importantes como os avanços da medicina reprodutiva, dados sobre infertilidade feminina e masculina no Brasil e tratamentos, por exemplo, Fertilização in Vitro e Inseminação Artificial.

Acesse o vídeo na íntegra e assista esse caso emocionante da luta para ser mãe: https://www.youtube.com/watch?v=Nlrxv_5M8zE

Novo vídeo do Dr.Edson Borges para TV Fertility!

As chances de gravidez nos tratamentos de fertilização estão diretamente ligadas aos números de óvulos produzidos. Você sabia que a mulher nasce com dois milhões de óvulos e quando começa a menstruar tem cerca de 400 mil, que vão sendo gastados mês a mês? Hoje, há técnicas bastante avançadas para que o ovário funcione mais e melhor. Quem explica todos os detalhes é o especialista em reprodução humana, Dr. Edson Borges Jr.
Acesse agora o vídeo na TV Fertility:

https://www.youtube.com/watch?v=5eTnqJNt_KE

Pesquisa revela: cigarro e álcool diminuem a qualidade seminal

A qualidade seminal tem diminuído ao longo do tempo em todo o mundo. Esse declínio é provavelmente multifatorial e diversos fatores do estilo de vida têm sido apontados por influenciar positiva e negativamente a função reprodutiva masculina.

Pesquisadores do Fertility Medical Group, coordenados pelo Dr. Edson Borges Jr., acabaram de divulgar os resultados de um estudo que contou com a participação de 965 pacientes, com idade média de 38 anos, que realizaram ciclos de fertilização in vitro entre outubro de 2015 e dezembro de 2016.

Acesse o link e leia a matéria completa:

Pesquisa com 965 homens brasileiros revela: cigarro e álcool diminuem a qualidade seminal

Fertility Medical Group é premiado no CBRA 2018

Os trabalhos científicos do Fertility Medical Group foram premiados em 1º e 2º lugar durante o 22º Congresso Brasileiro de Reprodução Assistida (CBRA 2018), que aconteceu entre os dias 01 a 04 de agosto, em Brasília.

O estudo “Ovarian response to stimulation and suboptimal endometrial development are associated with adverse perinatal outcomes in intracytoplasmic sperm injection cycles” foi premiado como primeiro melhor trabalho científico do congresso. Nele, foi possível correlacionar que bebês nascidos por fertilização in vitro e considerados pequenos, de acordo com sua idade gestacional, vieram de ciclos de tratamento que resultaram em maior número de óvulos, maior nível de estradiol no sangue, além de apresentarem endométrios mais finos no momento da transferência embrionária.

A conquista do segundo melhor trabalho do encontro internacional ficou para a pesquisa “Serum metabolites as molecular predictive markers of ovarian response to controlled stimulation: a pilot study”. Foi descrita a utilização de uma nova metodologia, a metabolômica, como técnica para prever a resposta ovariana à estimulação hormonal, ou seja, os números de óvulos que possivelmente serão obtidos, com uma precisão de 98,9%.

 

“Esses dois trabalhos ressaltam a importância da individualização do estímulo ovariano controlado. Em um futuro próximo, a previsão da resposta ao estímulo por meio da técnica de metabolômica auxiliará na orientação do protocolo de estimulação ovariana mais adequado para cada paciente. Esse ajuste, por sua vez, terá impacto positivo na saúde dos bebês nascidos de reprodução assistida” ressalta Edson Borges Jr., especialista em reprodução humana e diretor científico do Fertility Medical Group.